5 de jan de 2012

O cristianismo nos animes e mangas.

O Cristianismo no Japão

O Japão não tem a cultura judaico-cristã como base, estando suas principais crenças no budismo e no xintoísmo. Porém, já existiu um movimento cristão na Terra do Sol Nascente. Por volta do século XVI, jesuítas portugueses desembarcaram no país e trouxeram consigo sua religião, que ao longo dos anos, ganhou milhares de seguidores.
Curiosamente, durante esse período, surgiu o primeiro sistema romaji, um método de romanização do japonês (transcrever para o nosso alfabeto), para facilitar a pregação dos missionários estrangeiros. Também foram adaptadas palavras da língua portuguesa ao idioma local, como pan (pão).
O fim do cristianismo no Japão pode ser atribuído a Toyotomi Hideyoshi, que expulsou missionários estrangeiros e perseguiu os cristãos nativos na ilha de Kyushu. Durante a Era Meiji (1868-1912), ainda houve uma segunda tentativa de levar a religião ao país, mas que não foi muito bem sucedida. Atualmente qualquer influência cristã na cultura pop japonesa se deve ao relacionamento com países ocidentais.


A Bíblia nos mangás

Tirando os leitores de meios de comunicação especializados, tanto de cultura japonesa e algumas editoras ligadas a igrejas, os lançamentos de mangás baseados em histórias bíblicas passam despercebidos por muitos. São inúmeros lançamentos, alguns deles inclusive produzidos no Ocidente.
No Brasil, a editora Edições Vida Nova tem lançado uma coleção de mangás baseados em partes do livro sagrado do Cristianismo. O projeto tem previsão de cinco edições, das quais até o momento foram publicadas três: Messias, Metamorfose e Motim. Os mangás podem ser comprados diretamente no site da editora, que também vende versões em inglês e japonês.






Um comentário:

  1. Hum gostei da ideia da Edições Vida Nova de mangas contendo conteúdo cristão vou ver se compro.

    ResponderExcluir