8 de fev de 2012

Space Web: a internet sem lei do futuro.

Hackers alemães planejam criar uma internet no espaço para fugir de ameaças como o SOPA, o PIPA e o ACTA.Se a internet já não é mais a mesma, que tal criar uma nova? Essa é a justamente a proposta de um grupo de hackers alemães que, preocupados com os possíveis desdobramentos que projetos de lei como o SOPA, o PIPA e o ACTA podem trazer para os internautas, tiveram a ideia de criar um servidor onde a legislação de nenhum país é capaz de incomodar: no espaço.
A chamada “space web” seria possível graças ao lançamento de um satélite particular, que ficaria responsável por estabelecer as comunicações da mesma maneira que um ponto fixo aqui na Terra seria capaz de fazê-lo. A proposta surgiu durante o Chaos Communications Congress, realizado na cidade de Berlim, na Alemanha.



Sim, em tese é possível mesmo para um grupo amador enviar um satélite para o espaço. O maior problema em uma situação como essa é o tempo que essa tarefa pode levar para ser concluída. Embora o grupo Shack Stuttgart Hackerspace afirme contar com profissionais, estudiosos e cientistas capacitados para a tarefa, a corrida contra o tempo e a falta de investimentos podem ser os maiores empecilhos do projeto.
A ideia pode soar utópica, mas os planos para a criação da Rede Hackerspace Global são bastante claros e organizados. O envio de um satélite permitiria que as informações fossem centralizadas em um lugar onde o controle das leis terrestres não existe e, por isso mesmo, não pode ser regulamentado.
Contudo, qualquer coisa que seja lançada acima da estratosfera requer muito trabalho e pesquisa. Além da obtenção do material para que isso seja possível, é preciso criar ainda estações de base móvel para que os sinais recebidos a partir do dispositivo em órbita possam ser distribuídos, algo complicado devido à imprevisibilidade de movimentos.




O Hackerspace Global Grid (HGG) ainda está em fase inicial de projeto e o primeiro passo é pensar em quais serão os softwares necessários para viabilizar a empreitada. O grupo é aberto e todos os internautas que desejam participar podem visitar a página oficial da equipe (em inglês, disponível neste link). Atualmente, as primeiras linhas de código estão sendo escritas.
Entretanto, é preciso fazer algumas ressalvas aos “benefícios” de um espaço sem leis para regulamentação da internet. Da mesma forma que o grupo de hackers pode lançar um satélite para viabilizar uma internet alternativa, nada impede que algum país possa contra-atacar no espaço, boicotando ou até mesmo destruindo o satélite em questão.
E isso pode acontecer não apenas por conta do SOPA, mas principalmente por parte de países que veem na internet livre uma ameaça para o seu governo, como é o caso da China e de alguns países do Oriente Médio.


Um dos líderes do projeto é o ativista hacker Nick Farr. Segundo ele, as primeiras movimentações do SOPA foram as principais responsáveis por motivar o projeto que, depois da apresentação no evento em Berlim, ganhou adeptos e se popularizou na comunidade hacker.
Eles se baseiam na iniciativa de entusiastas amadores, que já conseguiram lançar objetos acima da estratosfera. Balões de alta altitude têm sido usados para colocar câmeras e podem permanecer por um longo tempo no espaço, mas não são os mais adequados para suportar um satélite.
Em uma iniciativa ainda mais ousada, o grupo hacker pretende até mesmo colocar um astronauta amador na Lua em no máximo 23 anos. “Sabemos das nossas limitações e temos ciência de que esse é um projeto bastante ambicioso, por isso vamos tentar algo menor primeiro”, destaca Armin Bauer, entusiasta do assunto, morador da cidade de Stuttgart, que está colaborando com o grupo.
Se tudo der certo para a equipe, ainda neste ano os primeiros testes começarão a ser realizados, em uma escala que não visa resultados práticos. Será que os hackers conseguirão romper a fronteira final e transformar a internet em um lugar aonde lei nenhuma é capaz de chegar?
Fonte:tecmundo

Nenhum comentário:

Postar um comentário