14 de jun de 2012

Creepy Pasta: Metroid(NES)





O meu jogo favorito de infância quando criança sempre foi Metroid. Joguei quase parar durante toda minha infância no clássico Nintendinho. Eu sempre gostava de vir pra casa durante o inverno com meus amigos para ficarmos revezando o jogo durante o dia inteiro. Infelizmente, alguns meses depois de completar meus 17 anos, houve um enorme incêndio, e com isso, perdi meu cachorro e meu Nintendinho. Em tempos mais recentes, eu visitei o sebo do meu pai na Flórida. Era uma loja decente, com um monte de coisas velhas à venda por um preço ótimo. Um dia, eu estava andando pela loja, quando notei que lá havia Nintendinho bem velho. Melhor ainda, eles também tinham o cartucho do jogo Metroid na seção Media. Meu pai então me deu ambos como um presente dele.

Mais tarde naquela noite, liguei alguns fios bem velhos que ainda tinha guardado, testei o sistema, e depois coloquei o jogo. Uma vez que liguei o vídeo game, a tela principal do jogo apareceu. Fiquei muito animado com isso, pois finalmente poderia jogar meu jogo favorito de infância e ter uma ótima seção de nostalgia, depois de tantos anos. Porem, quando apertei o botão Start, a tela ficou um pouco mais escura. Apertei novamente, e ela ficou ainda mais escura. No momento em que eu havia apertado o botão 8 vezes, a tela estava completamente escura. Então, ouvi um som muito alto, e em seguida o jogo começou. Imaginei que aquilo deveria ser uma simples falha no jogo e continuei.

Um minuto depois, porem, Samus foi sozinha em direção a uma bomba, e a tela começou a piscar. A música estava se repetindo constantemente também. Então, alguns sons altos saíram da caixa de som. Se assemelhavam a um monitor cardíaco. Ele continuou a apitar sem parar: "beep beep, beep, beeeeeeeeeeeeeeeee...". O monitor cardíaco então chegou a um ponto onde o sinal sonoro ficara constante, e nunca termina. Era como se eu tivesse perdido alguém. Então olhei para a tela, e me choquei ainda mais: Samus estava deitada no chão, cheia de sangue em torno dela.

Somente após 5 minutos do “beep” interminável, a tela ficou em modo de “epilepsia”, começando a piscar sem parar. Mas entre os flashes, eu vi alguma coisa. Parecia uma imagem de mim mesmo. Não era nem mesmo feito de pixels. Aquilo era muito claro e muito real para ser de um jogo de NES. Mas esse não era o problema... Como diabos o jogo tinha uma foto minha? E por que ela aparecera no meio de tudo aquilo? Em seguida, a tela ficou totalmente preta, seguido por um sinal sonoro ensurdecedor. Eu estava muito surpreso e assustado ao mesmo tempo, então decidi desligar o sistema na mesma hora. Porem, o jogo continuou normalmente, e o controle ainda estava funcionando normalmente.

O jogo então me deu um código. O código tinha apenas 7 dígitos: MICHAEL. Esse era o meu nome! Como é que aquilo sabia qual era meu nome? De qualquer forma, em seguida, a tela desapareceu, e de repente apareceu uma tela bem tensa com Samus me encarando de perto. A música tema da fase Brinstar Depths tocava lentamente à medida que a câmera se aproximava lentamente do capacete de Samus. Ela então, lentamente, tirou o capacete para revelar um horrível rosto sem olhos e sem boca. Um texto na tela apareceu, dizendo. "VOLTE IMEDIATAMENTE".

Eu estava tão assustado que estava chorando e tremendo sem parar. Em seguida, uma foto de minha família apareceu. Agora eu realmente estava apavorado. A tela nos mostrou desaparecendo lentamente. Primeiro meu pai, depois minha mãe, meu irmão, e por ultimo, eu... mas para minha surpresa, eu não desapareci completamente. Somente a minha carne desapareceu, deixando meus ossos e músculos apodrecidos a mostra. Então eu senti o suor escorrer ainda mais pela minha testa, enquanto um outro texto aparecia na tela, dizendo: "VOCÊ É O PRÓXIMO".

Eu estava completamente aterrorizado, não conseguia parar de tremer. Achei que este jogo estava possuído. De repente, uma imagem da Samus decapitada aparece na tela, junto com um grito que era tão alto que literalmente fez meus ouvidos sangrarem. Metroids (aqueles pequenos organismos verdes) apareceram na tela, juntamente com uma Ridley completamente óssea, e risos malvados saíram da caixa de som. Nesse ponto eu já não conseguia mais suportar aquilo. "ME DEIXE EM PAZ!" eu gritei, e com isso e para minha surpresa, a imagem sumiu da tela e o jogo desligou.

Pensei que Metroid seria um jogo divertido para se jogar depois de alguns anos, mas ao que parece, ele não me deu nada além de problemas. Eu nunca mais toquei no vídeo game ou o jogo novamente. Eu nem sequer conseguia procurar sobre o tal jogo na internet, pois estava muito apavorado de fazê-lo. E agora, quase todas as noites em meus sonhos, eu vejo aquela imagem horrível do rosto de Samus, ao lado de minha cama, me observando...

Um comentário: